Lousa antiga de quadro negro e uma lâmpada em cima da mesa. Símbolo de inovação Lousa antiga de quadro negro e uma lâmpada em cima da mesa. Símbolo de inovação

Sala de aula invertida: saiba como funciona e quais suas vantagens

Aula invertida utiliza hibridez para ressignificar os momentos presenciais, mas exige que alunos acessem a conteúdos prévios

Em uma sala de aula invertida, o professor não é o único que ensina. Nem só os alunos aprendem. O processo de ensino e aprendizagem ocorre no caminho percorrido pelos estudantes para propor resolução de problemas.

Assim como as demais metodologias ativas de ensino, na educação invertida, também chamada de flipped classroom, a ideia do professor inquestionável em seus conhecimentos fica para trás. O docente passa a atuar como um mentor do processo de aprendizagem, cujo aluno está no foco central.

Como o nome diz, o método inverte por completo a lógica de ensino: a ideia é que o aluno aprenda o conteúdo antes de entrar em sala de aula, para que, uma vez nela, ele possa desenvolver de forma ativa o conteúdo aprendido.

O método começou a ser colocado em prática em 2007 pelos professores americanos Jon Bergman e Aaron Sams, que descobriram que a vivência em sala de aula poderia ajudar os alunos a dar continuidade à trilha de aprendizagem, que pode ter início sem necessariamente estarem presentes na sala.

Eles lecionam em uma zona rural do Colorado, nos Estados Unidos, e os alunos começaram a faltar muito. Por isso, começaram a gravar as aulas matutinas para o turno da tarde. A estratégia funcionou tanto que eles passaram a ressignificar o valor do tempo na aula presencial.

 

Aula invertida pressupõe ensino híbrido e gera atividades presenciais mais ricas

Para que uma aula invertida funcione, é fundamental que o aluno tenha tempo para acessar os conteúdos antes dos encontros presenciais, e é por isso que o ensino híbrido, que aproveita o melhor das aulas presenciais e virtuais, acaba se tornando uma de suas principais ferramentas.

Os conteúdos podem ser oferecidos em diversas plataformas e formatos, todos online, permitindo que os estudantes os absorvam respeitando seu ritmo individual. Dessa forma, cada aluno terá mais liberdade para ir em busca do conhecimento, além de fortalecer sua autonomia e transformar a própria maneira de aprender.

Esta é uma das grandes vantagens do método em relação ao formato tradicional de ensino, que oferta aulas com a mesma duração para estudantes que, sabidamente, têm ritmos diferentes de aprendizagem.

O uso da sala de aula invertida faz, inclusive, que os momentos presenciais fiquem muito mais interessantes: eles deixam de ser utilizados para aulas expositivas e se tornam espaço para a aplicação do conteúdo por meio de metodologias ativas de aprendizagem, o que inclui, por exemplo, estudos de caso. É por isso que falamos que, na sala de aula invertida, a lição de casa é feita na escola, e a aula ocorre em casa.

No ensino superior essa “inversão” da sala de aula costuma ser ainda mais eficaz, visto que é esperado que o universitário tenha mais maturidade para estudar e consultar a bibliografia indicada, antes das atividades presenciais. Com isso, os encontros tendem a ser muito mais prazerosos e enriquecedores, já que o tema abordado não vai ser completamente novo para ninguém e a discussão pode ser mais aprofundada.

Outra vantagem do método aplicado na universidade é que ele leva em conta a individualidade do estudante. Como no ensino superior a diversidade de alunos costuma ser maior e reúne pessoas com diferentes backgrounds, a modalidade oferece condições de os alunos aprenderem de forma também distintas.

Por fim, sabe-se que o mercado pede, cada vez mais, profissionais capazes de desenvolver e criar projetos e ideias além dos conceitos aprendidos. Ao propor uma aula invertida, as instituições de ensino instigam a autonomia do estudante para criar soluções por conta própria. Sua capacidade de resolução de problemas e de raciocínio lógico torna-se muito mais desenvolvida

 

Otimização do tempo

Para os professores, a indicação prévia de vídeos, blogs, sites, textos e outras ferramentas de pesquisa ajuda a dinamizar as aulas e enriquecer as discussões dos assuntos dos momentos presenciais. A otimização do tempo durante as aulas também é uma vantagem trazida pelo método, que permite ao professor ter mais tempo para planejar novas aulas e participar de formações, por exemplo.

Ao passo que a flipped classroom otimiza o trabalho do professor, ela também os desafia a se reinventarem e dominarem as metodologias de ensino que atendam esta nova forma de gerar conhecimento, mais personalizado e atento ao ritmo de aprendizagem de cada aluno.

Viu só como todo mundo ganha?